Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Martin Shkreli, Cura e Castigo.

por Volátil, em 18.12.15

A indústria farmacêutica sempre teve um daqueles autocolantes "evil inside" colado. Todos se lembrar do livro de le Caré, o Fiel Jardineiro, transformado em filmes (um bom filme) em 2005 por Fernando Meirelles. Em que se faziam experiência de novo fármacos em pessoas no Quénia mascarada de donativo solidário de medicamentos. 

Associado a noticias que envolvem saúde e custos estar a ideia de que ganhar dinheiro com a saúde é moralmente reprovável e até repugnante. Já são normais as notícias de médicos, farmacêuticos e delegados de propaganda médica detidos por fraude.

Também não foi há muito que veio a público em Portugal a discussão sobre o preço elevado  de um novo medicamento para o tratamento da Hepatite C.

 

Martin Shkreli é CEO da Turing Pharmaceuticals que comprou os direitos de comercialização de um medicamento. Daraprim ou pirimetamida, um medicamento utilizado no tratamento de infecções por protozoários como é o caso da Malária e é também importante nos cocktail farmacológicos anti-HIV como profilaxia deste tipo de infecções. Nas mãos de Martin o preço do Daraprim passou de $13,5 para $750 por comprimido, ou seja, simplesmente aumentou 5500%. As notícias internacionais é "the most hated man in America", "Pharma Kingpin", "drug industry's villain". 

 

A marcação do preço de um medicamento é complicado. Quando é feito pelos Martins da indústria podem realmente ser imorais e obscenos. Quando é o Estado a fazer o preço dos medicamento que paga, eles podem atingir valores ridículos que os afasta dos doentes nacionais via exortação ainda que ilegal. 

Recordo 3 exemplo de medicamentos. Artane, anti-colinérgico utilizado na doença de Parkinson. Varfine, anticoagulante que previne tromboses. Mysolin, anticonvulsivante. Todos estes medicamentos têm duas coisas em comum. São os únicos que existem para esta molécula activa, mais nenhum laboratório produz este medicamento, e são todos muito baratos não sendo o preço de cada comprimido superior 7 cêntimos, quase todos pagos pelo Estado que fez o preço. 

Como é que algo pode ser exclusivo e relativamente barato ao mesmo tempo?

Não pode. Por isso cada vez mais estes medicamentos saiem de Portugal e vão para onde têm preços mais compensadores (mesmo na ilegalidade). E assim também é complicado.

fda-cartoon-1024x774.jpg

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:49