Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Viagem ao Renascimento.

por Volátil, em 27.03.15

Tudo começou quando a minha professora de português no 6º ou 7º ano, não consigo precisar, apresentou o livro da Sophia de Mello Breyner Anderson intitulado "O Cavaleido da Dinamarca". Este pequeno livro conta a história de um homem, o cavaleiro, que que vivia numa floresta da Dinamarca, comunica à sua família durante a ceia de Natal que iria fazer uma peregrinação até à Terra Santa para rezar na gruta da Natividade desse dia a um ano. Esse percurso que tem inicio no norte da Europa acaba por passar em Florença onde o Cavaleiro encontra uma mercador e um banqueiro de Veneza que lhe contam as histórias de Giotto e Cimabué e Dante e Beatrice.

Foi a partir dessas páginas e de um história tão simples e tão curiosa ao mesmo tempo que nasceu a vontade de visitar Florença. Que finalmente consegui concretizar!

A fundação de Florença perde-se nos tempos do Império Romano. Foi uma cidade de génios, cientistas e artistas com uma densidade cultural que tal ordem que torna difícil a respiração naquelas ruas. Michelangelo, Donatello, Leonardo da Vinci, Boticcelli, Galileo, Dante Alighieri. Em todas as ruas há estatuas, museus, torres, cúpulas, frescos, gravuras e relevos de várias épocas da histórias que tem bem visível o avanças dos anos e das épocas da antiguidade clássica até à segunda guerra Mundial... até a incidentes com a máfia nos anos 90. É possível contar a história do mundo através ruas de Florença e é isso que a torna numa cidade única e fascinante.

DSC02433.JPG
David de Michelangelo,1475-1564, Galleria dell'Accademia

 

A capital da Toscana tem imensos turistas durante todo o ano, começando a época alta com o inicio da primavera. Encontra-se um pouco de tudo. O turista asiático com uma câmara Sony que consegue fotografar uma azeitona a 2 Km, a jovem turista americana que quando fala parece que está num concurso de quem consegue dizer mais vezes "oh-mygod, and I was like...", o turista inglês bronco que só quer beber cerveja, e os nerds como eu que lêem as placas de todoas as obras do museu. 

A comida toscana é parecida com a portuguesa, até têm um similar da sopa da pedra a que chamam "zuppa toscana" e uma espécie de biscoito gigante com passas e frutos secos chamado "pan del pescatore" muito semelhante à nossa broinha de batata. De resto, no que concerne a pizzas e pasta, já experimentei bem melhor em território nacional. Excepto para a "melanzane alla parmigiana", uma receita com beringela que irei deixar aqui um dia destes.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:32