Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Os limites aos limites dos limites do humor.

por Volátil, em 22.07.15

Já não há pachorra para a mesma conserva de sempre.
Os limites do humor. Em primeiro lugar já não posso ouvir os mesmo marretas de sempre a hastear a bandeira da liberdade de expressão defendedo que não há limites para o humor. Paradoxalmente querem calar as vozes de quem não acha piada ao que eles escrevem limitando à partida a tão aclamada total liberdade de expressão. 
O humorista é intertainer e não um pensador ou opinion maker. Quanto muito será um trendsetter, como diz agora a malta entendida. O humorista tem uma visão incomum da realidade e é esta visão que provoca o riso. Por isso é estúpido estarmos a discutir os limites aos assuntos que o humor pode ou não tratar, sob pena de estarmos a discutir no futuros os limites a outras coisas mais relevantes.
Nessa medida não se deve atribuir aos humoristas uma importância maior do que eles têm, deixando-os fazer o seu trabalho sem lhe atribuir a oportunidade de se armarem vitimas da "censura popular", de que alguns tanto gostam. 

Temos o direito de fazer as piadas que quisermos assim como temos o direito de rir com aquilo a que realmente achamos graça. Se a maioria não acha graça ao humor negro, por exemplo, não venham para aí choramingar que as televisões não comprar esse formato. Mudem de meio. Trabalhem noutro lado. Dediquem-se ao público que vos compra... mas deixem de choramingar, marretas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:31