Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Aviso: vai dar merda.

por Volátil, em 23.11.14

Viver com o sentimento de que tudo vai correr mal. Começa com um pequeno desassossego que se esquece com relativa facilidade. Ligar a televisão. Abrir um livro. Ouvir um CD. E até, caso a força interior seja grande nesse dia, calçar as sapatilhas e ir correr. É possível distrair este pequeno desconforto de perturbar tanto o descanso como o pensamento. Mas persistindo, avaça inevitavelmente para um mal maior. Do vazio no estômago até à uma leve dormência na pernas e uma inquieta movimentação pela divisões da casa. Ler um livro até ao fim é uma tarefa cada vez mais complicada. O choque da ansiedade é uma espécie de nevoeiro que vem, aparentemente, do nada e perturba de tal modo que qualquer actividade parece uma perda de tempo precioso.

Este alarme é constate, descontrolado. Dispara sem ser preciso e desliga quando lhe apetece. Viver com este alarme é tão cansativo. Viver com este alarme é eventualmente um dos caminhos para a loucura.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:39


3 comentários

Sem imagem de perfil

De Maria a 23.11.2014 às 19:50

É exactamente assim que me sinto, bem digo que caminho para a loucura mas ninguém acredita.
Sem imagem de perfil

De Sofia a 23.11.2014 às 23:46

Qual caminho para a loucura, qual quê!! Esse é, sem dúvida, o caminho para a sanidade. Alguém que tem a perfeita noção do seu estado de espírito, que se protege dele protegendo os outros, não me parece que esteja a percorrer um caminho que não deva.
Sinto-me dessa forma, não raras vezes; quem comigo convive já aprendeu a dar-me o espaço de que preciso e, quando se esquecem ou teimam em não mo dar, depressa se lembram da asneira que fizeram.
Sou inconstante. Quem sou hoje, não sou amanhã; o meu estado de espírito não é o mesmo daqui por uns minutos; o que quero agora, já me esqueci. Sou assim. Aprendi a conhecer os sinais de aviso que o meu corpo e a minha mente me enviam. Aprendi a ser assim. E gosto; não quero, nunca quis ser diferente, ser outra pessoa.
Esse desassossego, essa inquietação, essa ansiedade... é tudo isso que me mantém alerta; tudo isso me faz sentir viva, faz-me sentir inconformada, faz-me lutar.
Vai dar merda? Que dê!!
Sem imagem de perfil

De Maria a 24.11.2014 às 11:13

Obrigada Sofia por compreender

Bj

Comentar post