Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Álcool em pó é estupidez.

por Volátil, em 12.03.15

Palcohol, o "álcool em pó" foi aprovado pela Food and Drug Administration para comercialização nos EUA.
O álcool que consumimos em bebidas é o etanol, tem um ponto de ebulição de 78,37ºC e um ponto de fusão de -114ºC. O que quer dizer que o etanol puro passa do estado sólido para o estado liquido a -114ºC e do líquido para o gasoso aos 78,37ºC. O que leva à conclusão lógica de que não pode existir, pelo menos literalmente, álcool em pó.

Portanto, o Palcohol é apenas pó que tem álcool lá embebido!
Foi a minha conclusão imediata... de seguida fui ver o rótulo do produto.

palcohol_slide-240092c7f5d0fd0afd0709a5dde92ffd6d1

Et voilà! Este estúpido maravilhoso produto contém 58% de álcool por peso (% p/p) ou 12% de álcool por volume (% v/v). Como queremos preparar bebidas podemos verificar que o 12% de álcool não chegam para fazer frente a um vinho tinto dos mais fraquinhos!
Como o que interessa é o álcool por volume, está escrito como nos contratos, em letras pequeninas no fundo!

 

Continuei com duvidas e fui ao sitio onde vai toda a gente que tem duvidas nos temos modernos, fui à Wikipedia.

ciclodextrina1.jpg

 

Descobri que que o pó usado para absorver o álcool que o produto contém são moléculas chamadas ciclodextrinas. Estas moléculas são utilizadas na indústria farmacêutica e alimentar como forma de transportar moléculas. As ciclodextrinas são anéis de seis a nove moléculas de glucose (açúcar!) que tem a particularidade de ter um interior hidrofóbico e um exterior hidrofilico, o que se torna, por exemplo, num invólucro excelente para encapsular e proteger moléculas de fármacos durante a sua viagem pelo organismo.

 

Os senhores do Palcohol pensaram que se estas moléculas, que formam um pó, têm um grande poder hidrofílico são uma excelente forma de absorver a maior quantidade de álcool possível para assim o tentarem vender em formato sólido! Pegaram nas ciclodextrinas "puras" e tentaram impregnar lá a maior quantidade de etanol que ele conseguiram até obter um produto seco. Em seguida tentaram convencer as pessoas que era uma maneira mais fácil e prática de transportar álcool (que como se vê na percentagem de álcool por volume, é mentira!) e criar um buzz em volta do assunto para vender, tentado induzir o consumidor mal informado em erro.

 

Concluindo:

O "álcool em pó" é perigoso? Não me parece perigoso.
Pode ser snifado? Pode, mas o pó é de tão baixa densidade que é provável que fique todo preso na narina (que estupidez!). No que diz respeito à quantidade de álcool absorvida as pitas que embebiam tampões em álcool eram muito mais espertas!
É mais fácil de transportar? Se tiverem uma carrinha de caixa aberta, sim.

 

Posto isto vou abrir um Jameson. Cheers!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:33