Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O Tremoço: Estatuto sociocultural de uma leguminosa.

por Volátil, em 13.07.13

Acho que a imagem mental mais antiga que tenho do tremoço não é propriamente dos discos amarelos e salgados mas do saco de serapilheira preso por um cordel que estava sempre mergulhado na água do poço. Na minha aldeia o tremoço servia para alimentar. Mas não alimentava só as pessoas! Também alimentava a terra "cansada" depois de se lhe arrancarem as batatas. É o "adubo verde". Depois da planta crescer e das flores de um amarelo vivo secarem, o Lupinus albus era devolvido à terra para que esta recupera-se o azoto e outros elementos perdidos.

 

O tremoço está sempre presente em Portugal, normalmente amontoados num pires ao lado de cerveja. O tremoço e convívio com amigos, mas é também uma figura mitológica conhecida como «o "marisco" do Eusébio».

 

Reza a lenda... que por volta do ano 1960, quando Eusébio - o Pantera Negra - chegou a Lisboa, terá dito que o seu marisco perfeito era o tremoço. Ora bem, parece que nesse tempo, por terras de Moçambique, havia a tradição de os café oferecerem um pratinho de camarão a acompanhar a cerveja (provavelmente uma Cuca!). Já por cá, na parte de Portugal que ficava na Europa, oferecia-se um pratinho de tremoços (e vivó velho!). Era o nosso marisco... e o do Eusébio, pois claro!


Esta história foi confirmada pelo próprio Pantera Negra no Museu da Cerveja, se quiseres ir confirmar. Em forma de homenagem, o Museu oferece um pires de camarão, durante os meses de verão, a quem consuma uma cerveja... a que dão o nome lógico de "O marisco do Eusébio".

Do ponto de vista da saúde, o tremoço também é espectacular! Se não contarmos com as carradas de sal que leva... para "puxar a cerveja". 6 a 52% de proteína, 5 a 20% de gordura, 30 a 40% de fibra alimentar mais vitaminas do complexo B, cálcio e fósforo. Principalmente a fibras, têm um efeito dietético, reduzem a glicemia e o colesterol LDL! Basicamente, as fibras e mucilagens absorvem a água e glicose em excesso e não as deixam passar para o organismo (atenção: não é fixe para quem sofre de obstipação!).

 

Aproveito ainda para informar que há uma Feira do Tremoço (já foi... 31 de maio a 2 de junho 2013)  no Município de Cantanhede. E parece que também existe a Confraria do Tremoço para aqueles que, comovidos por estes parágrafos, se quiserem juntar em defesa desta causa!

 

 

Viva o Tremoço!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:00